Carros abandonados em local proibido preocupam moradores

Em uma rua sem saída e com tráfego bucólico, a Usina deu espaço para um depósito de diversos carros abandonados. Cerca de oito veículo em estado de degradação foram descartados na Rua Santa Carolina há meses.

Eles estão estacionados em local público e proibido, dividindo calçadas com bons automóveis e gerando preocupação na população vizinha.

Esses carros acumulam grandes porções de sujeira no interior e dão aspecto horrível à rua. E além disso, sempre que chove, a água fica acumulada, ou seja, há risco das carcaças se transformarem em reservatórios para o mosquito da dengue, além de atrair ratos. Os funcionários da Comlurb não conseguem varrer adequadamente o local porque os carros estão estacionados, ocupando vagas. Nós ligamos para o 1746, mas até agora a questão não foi resolvida, foi a crítica de José Cunha, um vizinho do local.

A decomposição e situação de abandono é muito aparente. Ainda assim, todos os veículos são emplacados.

De acordo com um decreto municipal, se o carro não estiver devidamente identificado – com placa e chassis – a Comlurb deve se responsabilizar pela retirada do mesmo. Se estiver emplacado, é então a Secretaria de Ordem Pública que se engajará pelo processo de retirada e reboque.

A conservação e deterioração dos veículos, assim como sinais de colisão e marcas de vandalismo, são levados em conta também. O proprietário tem o prazo de 90 dias corridos para buscar o automóvel; caso contrário, ele vai à leilão.

A Comlurb divulgou uma nota afirmando que só remove as carcaças dos veículos não-identificados. Quanto aos mosquitos e roedores habitantes no local, o órgão afirmou que agendaria uma inspeção para solucionar o caso. A Secretaria, porém, informou que já rebocou os carros abandonados ou com presença no local de modo irregular.

 

Fonte:  O globo

Para mais informações sobre os nossos serviços, clique aqui.

Nunca cometa esses 5 erros ao comprar um carro

Um automóvel pode significar conforto e praticidade. Porém, custos de manutenção são altos e inesperados. Como alerta, nunca cometa os seguintes 5 erros ao comprar um carro.

1. Não sei qual carro preciso

A maior parte das compras é movida pelo impulso. O consumidor deve analisar sua necessidade.

Alguns segmentos, como os das picapes, têm se destacado. Mas analistas fazem o alerta.

Devemos lembrar que esses dois tipos de veículos são tradicionalmente veículos de carga. Se a família for crescer, a falta de espaço poderá ser um problema.

Além disso, o custo é caro e frequente.

2. Não sei quanto posso pagar

Outro erro comum, entre os 5 erros ao comprar um carro novo, é o conceito “Casas Bahia”. Com isso, o comprador analisa a parcela – mas não o custo total do veículo.

O carro é como um filho. Junto com a prestação mensal vem o custo de manutenção, seguro, combustível, estacionamento, pedágio e afins. Talvez o seu banco ou o banco da montadora não tenha a melhor taxa… o ideal é pesquisar

Todo o valor deve ser analisado e calculado a longo prazo.

3. Comprei um carro pela quantidade de itens opcionais

Muitas vezes a compra do veículo é movida pelos itens opcionais, ou como chamados, os ‘diferenciais’. A pergunta a ser feita é: eu preciso disso? O valor do item é justificável?

Um exemplo é o veículo Cruze da GM, que vem com o sistema OnStar. Ele é excelente. O futuro da interação. Mas o carro custa cerca de R$ 90 mil, sendo que é um produto para a geração Z. Mas quem tem poder aquisitivo para comprar esse carro é da Geração X. Será que uma pessoa mais velha realmente vai usar?

4. Instalei acessórios fora da loja oficial

No ato da compra em concessionária, você tem garantia do veículo. Se o consumidor optar por adicionar esses acessórios e itens, que seja por intermédio da concessionária.

Geralmente é um pouco mais caro, mas espere, junte dinheiro e depois equipe o carro, se for o caso. Dependendo do acessório e do local que você instalá-lo, você coloca veículo em risco e perde toda a garantia.

5. Não fiz um Test-Drive

Não esqueça o básico! É essencial testar antes da compra. O veículo pode ser incrível, mas você pode descobrir que ele é pequeno demais ou dirigibilidade ruim – por exemplo. É algo simples mas que muita gente deixa de seguir. Fique atento.

 

Fonte: Infomoney

Para mais informações sobre nossos serviços, clique aqui.

Cresce procura por carros automáticos

Aumentou o número de motoristas que decidiram optar por carros automáticos. O motivo é que, além do conforto para o condutor, o veículo sem embreagem está virando a maior febre do momento. Optar por veículos sem embreagem anteriormente só era disponível para modelos de luxo.

O principais fabricantes têm veículos na faixa de R$ 45.000 e R$ 60.000. Em 2016, uma pesquisa japonesa indicou que 40% dos compradores brasileiros gostariam de ter um automático. Entre os que já o tem, 95% não voltariam a ter um automóvel de outro tipo.

Se você quer comprar seu primeiro automático, atente a detalhes para fazer bons negócios. Os preços variam de acordo com o funcionamento dos sistemas.

Por exemplo, a caixa de marcha automatizada é mais barata, acrescentando cerca de R$ 3.000 à versão manual. As automáticas são mais caras, acerca de R$ 5.000. O câmbio automatizado é um mecanismo simplificado e mais barato também; o automático genuíno é mais sofisticado e conta com gerenciamento eletrônico. A troca de marchas não é sentida pelo condutor.

E ainda assim, tem três tópicos importantes que todos deveriam saber:

  1. Carros automáticos não consomem mais combustível;
  2. Ao contrário do que afirmam, quanto mais marchas mais eficiente o veículo será;
  3. Leia o manual do veículo para saber sobre as inspeções periódicas necessárias.

Atente também para o período de adaptação, caso você sempre tenha dirigido veículos com câmbio manual. Guie por algumas semanas em situações mais amenas e evite o tráfego pesado até se acostumar com as reações do automóvel.

 

Guia de valores dos carros automáticos mais procurados em 2017

  1. Fiat Mobi Drive GSR automatizado | R$ 45.450
  2. VW Move up! I-motion automatizado | R$ 51.190
  3. Toyota Etios X 1.3 automático | R$ 51.610
  4. Kia Picanto 1.0 automático | R$ 51.990
  5. VW Gol Comfortline automatizado | R$ 53.029
  6. Uno Way 1.3 Dualogic Flex automatizado | R$ 54.430
  7. Ford New Fiesta SE Plus Direct 1.6 automático | R$ 55.990
  8. Chevrolet Onix 1.4 LT AT automático | R$ 56.190
  9. Toyota Etios Sedan X automático | R$ 56.370
  10. Hyundai HB20 Gamma 1.6 automático | R$ 56.880

Fonte: JC Online

Para mais informações sobre nossos serviços, clique aqui.

 

 

Carros econômicos: top 5 para ser Uber em 2017

O objetivo é claro: conseguir uma renda extra pro orçamento e diminuição dos custos com o carro. Com isso, vamos dar algumas dicas para carros econômicos de acordo com o Inmetro.

Além do preço acessível, muitos motoristas investem na solução GNV para gastar menos combustível. Assim, os consumidores garantem a compra de carros econômicos aliados a medidas mais rentáveis.

Carros econômicos: Top 05 para ser Uber gastando menos

1. Peugeot 208 | 15,1 km/l na cidade e 16,9 km/l na estrada

Modelo: Peugeot 208 1.2 Pure Flex Allure
Valor: R$ 48.000

Se o motorista não quiser um carro híbrido, pode optar pelo carro a combustão, que é o caso do Peugeot 208. Esse veículo é equipado com um motor 1.2 PureTech de três cilindros. É o veículo mais rentável do país, movido exclusivamente a combustível líquido.

Ele opera ainda, segundo algumas média do Inmetro, com  10,9 km/l na cidade e 11,7 km/l na estrada – com o uso de etanol. Se abastecido com gasolina, as médias sobem para 15,1 e 16,9 km/l.

2. Citroën C3 | 14,8 km/l na cidade e 16,6 km/l na estrada

Modelo: Citroën C3 1.2 Pure Flex
Valor: R$ 49.990

O C3 tem quase o mesmo rendimento do anterior. Isso se dá pelo uso do mesmo motor 1.2 PureTech e câmbio manual de cinco marchas. O ponto diferente é que o hathback da Citroën faz 10,6 km/l na cidade e 11,3 km/l na estrada com etanol, e 14,8 km/l e 16,6 km/l com gasolina.

Isso também se deve a noção de que os veículos do grupo PSA têm aerodinâmica mais vantajosa, permitindo a maior vantagem sobre o C3.

3. Volkswagen Up! | 13,8 km/l na cidade e 16,1 km/l na estrada

Modelo: Volkswagen Connect Up!
Valor: R$ 37.990

Entre os veículos com motor 1.0, o Up! se destaca. É equipado com motor 1.0 turbo, operando por 9,6 km/l na cidade e 11,1 km/l na estrada com etanol. Enquanto que, abastecendo com gasolina, o veículo opera por 13,8 km/l na cidade e 16,1 km/l na estrada.

No entrando, a tabela do Inmetro indica apenas os modelos de 2017, o Up! 2018 está de fora – ainda que mais econômico, não é tão vantajoso para os Ubers.

4. Renault Sandero | 14,2 km/l na cidade e 14,1 km/l na estrada

Modelo: Renault Sandero Vibe
Valor: R$ 44.950

O Sandero vem equipado com motor dianteiro e transversal, 3 cilindros, 4 válvulas por cilindro e potência de 82 cv.

Opera por 9,5 km/l na cidade e 14,2 km/l na estrada com etanol. Com gasolina, faz 9,6 km/l na cidade e 14,2 km/l na estrada. Para aqueles que apreciam sedãs, ele pode ser levemente mais econômico que o Logan.

5. Fiat Mobi | 13,7 km/l na cidade e 16,1 km/l na estrada

Modelo: Mobi
Valor: R$ 33.884

O bom e querido Mobi caiu na graça da população.

Ele vem equipado com o motor 1.0 FireFly, com três cilindros. Registrou circulação – com base de etanol – de 9,6 km/l na cidade e 13,7 km/l na estrada. Enquanto que com gasolina pode subir para os 11,3 km/l na cidade e 16,1 km/l na estrada.

Sua versão mais econômica, de 2018, está fora da listagem pelo mesmo motivo do Up!

 

Fonte: OptClean Tecnologia.

Para mais informações sobre nossos serviços, clique aqui.

Asfalto escorregadio é uma armadilha perfeita

Acha que dirigir em São Paulo é ruim? Então experimenta dirigir em dias de chuva. A Blitz do Estadão constatou na rua Antônio Júlio dos Santos, no Morumbi (zona sul), ao menos duas armadilhas. Buraco + asfalto escorregadio = cilada, Bino.

Um morador fez um alerta importante sobre a situação da rua. “O problema é com o asfalto. Só motoristas muito experientes conseguem subir tranquilamente. E mesmo quando a pista está seca já vi muitos carros derraparem. E com a chuva, só piora a situação”, afirma Ricardo Ferreira.

Em tempos de vias úmidas, é possível ouvir os automóveis derraparem ao subir as ladeiras. Em alguns momentos, carros quebraram ao tentar realizar essa atividade e precisaram de reboque. Muitos dos motoristas que circulam por aquela rua subiam em alta velocidade para não parar no semáforo; outros paravam bem antes, na expectativa do semáforo abrir e cruzarem a avenida sem parar.

“É impossível fazer o trajeto até a Avenida Giovanni Gronchi pela Rua Antônio Júlio dos Santos em dias de chuva. A rua se transformou em sabão e dificulta a subida até para motoristas experientes. Um carro parou o trânsito porque seu carro patinava a ponto de soltar fumaça do pneu dianteiro. Um perigo. Não seria o caso de reabrir a subida pela Rua Doutor Flávio Américo Maurano, como era antigamente? Sei que a acesso foi bloqueado por causa de segurança. Mas o asfalto escorregadio também traz receio”, foi a crítica do motorista Antônio Carlos Gomes de Brito.

Não só precisam lidar com os problemas do asfalto, os usuários também têm de desviar dos buracos presentes nas ruas. Segundo relatos da população, a situação piora no período noturno. “Entre às 17 horas e 20 horas, a subida da Avenida Giovanni Gronchi só tem uma faixa para os automóveis, o que obriga os condutores da faixa da direita ‘fecharem’ a curva para a esquerda”, diz Antônio.

*Esta matéria foi desenvolvida com auxílio do Portal IstoÉ.

Para mais informações sobre nossos serviços, clique aqui.