Carros da polícia de MT são recolhidos por falta de pagamento

Mais de 25% dos veículos utilizados pela polícia de MT (Mato Grosso) não estão funcionando por falta dos pagamentos às locadoras, segundo a União dos Conselhos de Segurança do estado.

Os veículos recolhidos são levados para um pátio que fica na Rodovia dos Imigrantes, entre Cuiabá e Várzea Grande, região metropolitana. Mais de 250 viaturas estão paradas até que o governo do estado se posicione sobre o repasse do dinheiro.

O presidente da União dos Conselhos de Segurança de Mato Grosso, Danilo Moraes, explicou que a falta de viaturas para a segurança pública se deve à falta de repasses do governo estadual, o que ocasiona demora no atendimento das ocorrências.

Polícia de MT

“Hoje se o cidadão ligar no 190 e a viatura demorar para chegar. Não é culpa do policial e sim do governo do estado anterior que deixou terminar o contrato e não realizou um novo para substituir as viaturas”, disse.

A empresa que fornece os veículos se recusou assinar uma prorrogação de emergência, porque também não recebeu o repasse do dinheiro.

“As viaturas que ainda estão no interior, estão sendo mantidas pela comunidade e até mesmo pelos próprios policiais, porque se vir para Cuiabá, ela não irá retornar”, avaliou Danilo.

O ônibus da delegacia móvel da PM foi levado para a oficina para trocar o óleo do motor em abril de 2018, no entanto, a empresa não realizou o serviço porque tem R$ 60 mil a receber do estado.

Um dos contratos com 750 unidades terminou no início de novembro.

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), afirmou que o repasse não está sendo feito por falta de dinheiro no estado e a dívida de R$ 4 bilhões com os fornecedores.

“Quem aluga os veículos para a segurança pública está pegando as viaturas da polícia e, então, fica o segurança no quartel e porque não consegue prestar segurança para a nossa população e está sem veículo”, afirmou.

Fonte: G1

Para mais informações sobre nossos serviços, clique aqui.

Placa do Mercosul: os carros que não tiverem a nova licença serão desvalorizados?

Placa no padrão Mercosul (Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo)

Desde que começou o “vai ou não vai” da placa do Mercosul, todo tipo de pergunta tem sido feita sobre as consequências da adoção do padrão. Uma pergunta recebida com frequência por Autoesporte foi: os carros que não tiverem a nova placa serão desvalorizados?

Não é a primeira vez que o Brasil passa por uma mudança nas placas de identificação dos veículos. No início dos anos 1990, iniciou-se a transição das placas amarelas para o formato utilizado atualmente. Foram quase 10 anos até que o padrão fosse totalmente implementado.

Mesmo nessa época, não foi observada uma desvalorização dos carros que ainda não tinham a, até então, nova placa. De acordo com o presidente da consultoria JATO Dynamics do Brasil, Vitor Klizas, foi analisado o custo de propriedade e o valor da depreciação do veículo ao longo do tempo, no Brasil e até em outros países que passaram pelo mesmo processo de substituição, e não houve qualquer alteração nos preços.

“Em todos os mercados onde essa mudança aconteceu, não houve um impacto significativo na valorização do carro. Ou seja, um veículo não vale mais ou menos por causa de uma placa da versão anterior”, afirma Klizas.

Além disso, a placa Mercosul oferece um número de combinações muito superior ao atual. Segundo o presidente da JATO do Brasil, vai para 450 milhões de possibilidades, quase três vezes mais do que o modelo atual, que tem 175 milhões de números, e já são mais de 55 milhões de carros registrados – isto é, a conhecida placa cinza teoricamente ainda oferece muitas opções antes da aposentadoria.

“Está longe do limite, mas não se espera chegar no limite, porque é necessário atribuir uma série de letras para cada estado e por aí vai. Então chega-se ao limite em alguns estados antes de chegar a outros”.

Portanto, ainda não há motivo para se preocupar se haverá desvalorização na hora de vender seu carro usado com a placa atual. Caso o proprietário ainda tenha dúvidas quanto a adoção ou não, não é necessário realizar a troca nos carros que já rodam com o formato atual.

Só resta aguardar se os estados cumprirão o cronograma do Denatran e se agora vai mesmo ou não.

Fonte: Auto Esporte

Para mais informações sobre nossos serviços, clique aqui.

Carros autônomos Ford em 2021

A Ford anunciou o lançamento dos seus primeiros carros autônomos para 2021, focados em serviços de transporte para empresas. As primeiras frota serão focadas, inicialmente, em entrega de mercadorias e caronas compartilhadas. Essa novidade traz uma grande ruptura na estrutura tradicional de negócios do setor automotivo e Sherif Marakby, CEO da Ford Autonomous Vehicles (divisão da marca voltada ao segmento), explica quais são as bases para viabilizar a adoção dessa tecnologia em larga escala.

“Para a Ford, os veículos autônomos são apenas o facilitador de um novo tipo de negócio que está sendo construído. Por isso, já estamos projetando, testando e operando o ecossistema de serviços que será necessário para o nosso futuro negócio de carros autônomos, criando os recursos para a sua expansão e geração de um fluxo sustentável de receitas no futuro”, diz o executivo.

Segundo ele, a proposta da marca é que os veículos autônomos resolvam problemas reais, com níveis de acessibilidade, conveniência e preço que não são possíveis hoje.

Fonte: Olhar Digital

Para mais informações sobre nossos serviços, clique aqui.

Aliança Ford-VW: cinco carros que gostaríamos de ver aqui no Brasil

As especulações começaram em junho de 2018 e só foram confirmadas sete meses depois: Ford e Volkswagen confirmaram aliança para produção conjunta de carros com declarações simultâneas nos EUA (durante o Salão de Detroit) e na Europa. Inicialmente, apenas veículos comerciais e utilitários serão produzidos em parceria, visando os mercados da Europa, América do Sul (Brasil na conta) e África.

Um primeiro produto já está definido para chegar em 2022: uma picape média baseada na evolução da plataforma da Ranger, primeiro com marca e equipamentos da Volkswagen, depois em roupagem da própria Ford.Mas quais seriam os outros possíveis produtos? Uma coisa a ser lembrada é que o foco da aliança é reduzir custos e ampliar competitividade das duas empresas. Usar a força de uma empresa em uma área — ou em um mercado– para as suprir deficiências de outra.

O objetivo é claro: ser líder dos carros. O grupo Volkswagen é líder global de carros de passeio, então ter proeminência também com veículos comerciais é um passo natural.Para a Ford, que passou 2018 afirmando que vai abrir mão de carros de passeio em alguns mercados para colocar sua energia em modelos elétricos, esportivos e picapes, parece lógico querer que este tipo de produto dê certo em todos os mercados possíveis. Daí a necessidade de contar com uma rede de distribuição ampla como a da Volkswagen.

A Ford é uma especialista em picapes, sua Série F é o modelo mais vendido do mercado norte-americano há quase 40 anos sem qualquer ameaça. Já a Volkswagen vai bem em furgões, vans e caminhões: na Europa, a série Transporter (“herdeira” da Kombi) segue firme e forte e mesmo conceitos elétricos estão em planejamento para manter a linha ativa (é o caso do I.D. Buzz, previsto para 2022).

Fonte: Bol

Para mais informações sobre nossos serviços, clique aqui.

Conheça 5 carros que poderão sair de linha no Brasil em 2019

Estamos saindo de um ano muito promissor para a indústria automobilística. O mercado está aquecido e deverá continuar crescendo em 2019, conforme as expectativas da Anfavea (Associação Nacional das Fabricantes de Veículos), que prevê crescimento de 13,7% no mercado em 2018. Foram inúmeros lançamentos em diversas categorias, contando até mesmo com o retorno da SsangYong e a consagração de uma nova marca, a Caoa Chery. Mas também podemos pontuar alguns carros que sairão de linha muito em breve, como os da Ford.

1 – Volkswagen Fox

VW Fox é vendido apenas com motor 1.6 e deverá entrar para a relação dos carros que sairão de linha em 2019
Divulgação

VW Fox é vendido apenas com motor 1.6 e deverá entrar para a relação dos carros que sairão de linha em 2019

Lançado em 2003, o Fox é um dos modelos mais defasados da Volkswagen. Com a recente inclusão de novos modelos, o hatch “compacto para quem vê, gigante para quem anda” acabou envelhecendo ainda mais. Mas é claro que ele prova o seu valor, e continua aparecendo entre os vinte carros mais vendidos do Brasil, conforme a Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos).

É possível que o Fox saia de linha ainda em 2019, por conta da chegada do novo SUV T-Cross. O compacto é feito na fábrica de São José dos Pinhais (PR), que se prepara para receber a produção da nova aposta da marca alemã. Partindo de R$ 49.990, o hatch está disponível em duas versões: Connect e Xtreme, sempre com motor 1.6 8V, de 104 cv de potência.

2 – Ford Focus

Ford Focus terá sua produção na Argentina encerrada em maio. Portanto, é um dos carros que sairão de linha em 2019
Divulgação

Ford Focus terá sua produção na Argentina encerrada em maio. Portanto, é um dos carros que sairão de linha em 2019

O Ford Focus deixará de ser produzido na Argentina, em suas versões hatch e sedã, após quase duas décadas. O sedã nunca conseguiu fazer frente à dupla Toyota Corolla e Honda Civic, mas o hatch era um dos ícones do segmento, ao lado do VW Golf. Trata-se de uma categoria que sangra em praça pública, uma vez que os hatches médios representam apenas 0,6% das vendas nacionais hoje em dia.

Isso também faz parte da mudança de estratégia da Ford, que pretende focar no lançamento de SUVs compactos. Lembremos que a marca americana foi a responsável por inaugurar a categoria no Brasil, com o lançamento do primeiro EcoSport, em 2003. Triste fim para um dos melhores carros que o dinheiro pode comprar na casa dos R$ 80 mil.

3 – Dodge Journey

Dodge Journey ainda é vendida no Brasil, mas está prestes a ser um dos carros que sairão de linha
Divulgação

Dodge Journey ainda é vendida no Brasil, mas está prestes a ser um dos carros que sairão de linha

A Fiat interrompeu as vendas do Freemont em 2015, mas a Dodge continua vendendo o Journey mesmo depois de tanto tempo. Lançado oficialmente em 2007, o Journey se tornou um tanto quanto defasado se compararmos com outros SUVs médios, custando R$ 149.990.

Vale dizer que ele foi atualizado recentemente, ganhando a central multimídia UConnect touch com tela de 8.4’, com entradas auxiliares, USB e Bluetooth com comando de voz e aplicativo de navegação integrado. Seu motor 3.6 V6 Pentastar entrega furiosos 280 cv.

Fonte: Carros – iG @ https://carros.ig.com.br/2018-12-20/carros-que-sairao-de-linha.html

Para mais informações sobre nossos serviços, clique aqui.